16 de fevereiro de 2010

Momento Poesia: Minha mente...minha sorte


Texto redigido em 10/04/07

Hoje, mais que nunca a solidão assola novamente meu ser...
Onde estou? onde estamos?
O futuro gela minhas espinhas...e somente o amor é capaz de manter-las,
quentes e firmes ao ponto de não se desintegrarem,
com os arrepios constantes de meu corpo...

Sou um homem de aço em suas vistas,
Porem em sua nuca, alem de lábios leves,
existe olhares perdidos e espantados...
A mente talhada a ouro, manipulada como um louco,
insanamente formas e saídas pra isso tudo as loucuras do mundo.

Somente a fé e o amor de um pai nos salvará,
Somente nosso amor...
Agora sambamos a três,
Apenas nós...até o fim dessa canção...
Até o fim da vida!!!

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget