5 de junho de 2014

Bom pessoal devido a muitos problemas ocorridos aqui no Blogspot, estou migrando o blog para o wordpress.
Estou adotando um novo nome também. Se chamará Direção de fotografia.


Em baixo segue o novo link do novo site. Lá você encontrará novas postagens e novidades sobre esse mercado maravilhoso da cinematografia.

Nos vemos lá!

http://direcaodefotografia.wordpress.com/

16 de abril de 2014

Filme 2 - Instinto Selvagem - 1992 - Dir. Paul Vehoeven - O Clube do Filme


O segundo filme apresentado pelo pai para o filho é Instinto selvagem. Filme que trás Sharon Stone e Michael Douglas. Direção de fotografia de Jan de Bont e Direção de Dir. Paul Vehoeven, o mesmo diretor do clássico Robocop, recentemente re-filmado pelo diretor brasileiro José Padilha, com direção de fotografia de Lula Carvalho.

Como robocop, instinto selvagem é um filme bastante intenso, com cenas fortes de sangue, algo que se torna uma característica do diretor nesse gênero de filme.

Logo na primeira cena, a bela loira interpretada por Sheron Stone, mata seu amante com diversos golpes na cabeça, após uma típica cena de sexo ardente…

Enfim, a intenção do blog não é fazer spoiler do filme e sim, incentiva-lo a ver os filmes indicados no livro.

Então esse é o segundo filme que o personagem Jesse assiste junto ao seu pai no livro clube do filme.

Instinto Selvagem ( Basic Instinct) - 1992 -  Dir. Paul Vehoeven



10 de abril de 2014

Filme 01 - Os incompreendidos (Les quatre cents coups) - François truffaut - O Clube do filme


Essa semana terminei de ler o livro do roteiro de o bicho de sete cabeças, filme que lançou o Santoro para as telonas. Sempre que termino um livro imediatamente já pego outro para não perder o ritmo, e como sou meio relaxado, se eu parar de ler aí já era...fico meses sem pegar outro.
Acho que esse ano já li mais do que em toda a minha vida....rs.
Peguei em minha biblioteca pessoal um livro que ganhei do meu amigo cinéfilo Antônio Marques, o nome do livro é O Clube do Filme, conta a história de um senhor critico de cinema que perceber que o filho iria sair do eixo pelo simples fato de odiar estudar, ele incentiva o filho largar a escola, e começa a educa-lo por meio de filmes. Genial a história deles. Mas o mais interessante são os filmes que ele coloca para o filho assistir.
Pensei em fazer diferente com esse livro, conforme eu for lendo ele pretendo colocar os filmes indicados pelo pai aqui no blog, na ordem que forem aparecendo no livro. Tomara que eu consiga encontrar todos. Comente aí em baixo depois de assistir o filme, vamos trocando figurinhas...vamos montar o nosso clube do filme.

Segue o link do primeiro filme.

Os incompreendidos (Les quatre cents coups) - classico filme de 1959 - premio de melhor diretor em cannes.

Dirigido por: François Truffaut



4 de abril de 2014

Sem comentários....o clipe novo do Criolo tá muito top!


13 de março de 2014

7 de março de 2014

LULA CARVALHO - DIRETOR DE FOTOGRAFIA

Lula Carvalho

Nascido no Rio de Janeiro em 1977, começou a frequentar e executar funções nos sets de filmagem acompanhando o pai, o premiado fotógrafo Walter Carvalho. Seu primeiro trabalho creditado foi como operador de câmera no documentário Pierre Verger - mensageiro entre dois mundos (1998), de Lula Buarque, com fotografia de César Charlone. Foi assistente de câmera em diversos filmes fotografados por Walter Carvalho e outros cineastas até se lançar com operador de câmera e diretor de fotografia.







Filmografia selecionada:



Diretor
  • Cartas para o futuro (2012). Codirigido com Pedro Von Kruger.


 Diretor de fotografia








  • Éden (2012), de Bruno Safadi
  • À beira do caminho (2012), de Breno Silveira
  • Paraísos artificiais (2012), de Marcos Prado. Vencedor do prêmio de melhor fotografia no CINE-PE Festival do Audiovisual.
  • A hora e a vez de Augusto Matraga (2011), de Vinícius Coimbra
  • Raul – O início, o fim e o meio (2011), de Walter Carvalho e Evaldo Mocarzel
  • Estamos juntos (2011), de Toni Venturi. Prêmio de melhor fotografia, entre outros, no XV Cine PE 2011.
  • Tropa de elite 2 (2010), de José Padilha. Prêmio de melhor direção de fotografia no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2011.
  • Budapeste (2009), de Walter Carvalho
  • A festa da menina morta (2008), de Matheus Nachtergaele. Prêmio de melhor direção de fotografia no Festival de Gramado.
  • Feliz Natal, de Selton Mello
  • Tropa de elite (2007), de José Padilha. Prêmio de melhor fotografia no Grande Prêmio de Cinema Brasileiro.
  • Fabricando Tom Zé (2007), de Décio Matos Jr.
  • Incuráveis (2006), de Gustavo Acioli
  • Moacir arte bruta (2005), de Walter Carvalho
  • Uma estrela para Ioiô (2004), de Bruno Safadi. Curta-metragem.
  • Atrocidades maravilhosas (2002). Curta-metragem. Direção própria.



  •  Operador de câmera







  • Estamos juntos (2011), de Toni Venturi. Prêmio de melhor fotografia, entre outros, no XV Cine PE 2011.
  • A festa da menina morta (2008), de Matheus Nachtergaele
  • Cleópatra (2007), de Júlio Bressane
  • Tropa de elite (2007), de José Padilha
  • Baixio das bestas (2007), de Cláudio Assis
  • O céu de Suely (2006), de Karim Aïnouz
  • Cinema, aspirinas e urubus (2005), de Marcelo Gomes
  • Cazuza – o tempo não pára (2004), de Sandra Werneck e Walter Carvalho
  • Pierre Verger - mensageiro entre dois mundos (1998), de Lula Buarque





  • Assistente de câmera







  • Crime delicado (2005), de Beto Brant
  • Entreatos (2004), de João Moreira Salles
  • O veneno da madrugada (2004), de Ruy Guerra
  • Olga (2004), de Jayme Monjardim
  • Carandiru (2003), de Hector Babenco
  • Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles
  • Lavoura arcaica (2001), de Luiz Fernando Carvalho
  • Abril despedaçado (2001), de Walter Salles
  • Palace II (2000), de Fernando Meirelles e Kátia Lund. Curta-metragem.
  • Eu tu eles (2000), de Andrucha Waddington
  • Villa-Lobos - Uma vida de paixão (2000), de Zelito Viana
  • Notícias de uma guerra particular (1999), de João Moreira Salles e Kátia Lund


  •   
    ::::::Entrevistas









    ::::::Alguns Filmes








    Fonte: FilmeB | Wikipedia | Youtube

    E o oscar de melhor fotografia 2014 vai para Emmanuel Lubezki - Gravidade

    Emmanuel Lubezki

    E a academia do oscar dá a Emmanuel Lubezki o premio de melhor fotografia do ano para o filme Gravidade.

    Lubezki nasce na Cidade do México em uma família judia. Seu pai era o ator Muni Lubezki.
    Ele começou sua carreira no cinema mexicano e em produções televisivas do final dos anos 1980, como a série cult de terror, La Hora Marcada (1986).
    Sua primeira produção nos Estados Unidos foi o filme independente Twenty Bucks (1993), que seguia a jornada de uma única nota de vinte dólares. Ele trabalhou com o cineasta mexicano Alfonso Cuarón em seis filmes: Sólo con tu Pareja (1991), A Little Princess (1995), Great Expectations (1998), Y Tu Mamá También (2001), Children of Men (2006) e Gravity (2013).
    Lubezki e Cuarón são amigos desde adolescentes, tendo cursado a mesma universidade, a Universidade Nacional Autónoma do México.
    A colaboração de Lubzki com Cuarón em Children of Men recebeu aclamação universal. O filme utilizou um grande número de novas tecnologias e técnicas distintas. A cena da "emboscada da estrada" foi filmada em uma tomada estendida utilizando um aparelho de câmera especial inventado pelos sistemas Doggicam, desenvolvida a partir do sistema Power Slide da companhia.
    Para a cena, um veículo foi modificado para permitir que os acentos se inclinassem e abaixassem os atores para fora do caminho da câmera. O pará-brisas do carro foi criado para permitir que a câmera se movesse para dentro e para fora do vidro. Um equipe de quatro pessoas, incluindo Lubezki, iam no teto do carro. Children of Men também possui um sequência de batalha de sete minutos e meio composta por cinco edições imperceptíveis, uma técnica raramente utilizada.
    Lubezki trabalhou com vários renomados diretores, incluindo Mike Nichols (The Birdcage, 1996), Tim Burton (|Sleepy Hollow, 1999), Michael Mann (Ali, 2001), Terrence Malick (The New World, 2005; The Tree of Life, 2011; To the Wonder, 2013), Martin Scorsese (Shine a Light, 2007, como operador de câmera sob a supervisão de Robert Richardson) e os Irmãos Coen (Burn After Reading, 2008).

    Veja o momento da premiação e o trailer do filme.

    Trailer






    Emmanuel Lubezki - Melhor Fotografia











    Filmografia

    • Bandidos (1991)
    • Sólo con tu Pareja (1991)
    • Como Agua Para Chocolate (1992)
    • Twenty Bucks (1993)
    • Miroslava (1993)
    • Fallen Angels (Dois episódios, 1993)
    • The Harvest (1993)
    • Reality Bites (1994)
    • Ambar (1994)
    • A Little Princess (1995)
    • A Walk in the Clouds (1995)
    • The Birdcage (1996)
    • Great Expectations (1998)
    • Meet Joe Black (1998)
    • |Sleepy Hollow (1999)
    • Things You Can Tell Just by Looking at Her (2000)
    • Y Tu Mamá También (2001)
    • Ali (2001)
    • De Mesmer, con Amor o Te Para Dos (2002)
    • The Cat in the Hat (2003)
    • The Assassination of Richard Nixon (2004)
    • Lemony Snicket's A Series of Unfortunate Events (2004)
    • The New World (2005)
    • Children of Men (2006)
    • Burn After Reading (2008)
    • The Tree of Life (2011)
    • Gravity (2013)
    • To the Wonder (2013)

    Vamos falar de Robocop Remake

    ROBOCOP - Remake

    Ainda não consegui assistir, mas pelas cenas que vi, pelo pouco que consegui me informar é um puta filme, claro que nunca será melhor que o primeiro, que é um clássico, porém acredito eu que um grande desafio para José Padilha que está abrindo as portas para os cineastas brasileiros no exterior.

    Direção de fotografia do Lula Carvalho, acho melhor segurar os comentários pois ainda não assisti na integra.

    Hoje em meus estudos pude ver bastante coisa sobre o processo de construção do filme, além do making of. Deixo então o que eu fucei na net sobre Robocop, e em breve volto aqui para falar a direção de fotografia do filme.

    Roda Viva


    Trailer do Filme



    OMELETV



    Making Of

    Parte01

    Parte02

    Parte03

    24 de fevereiro de 2014

    COMANDANTE - PORTA DOS FUNDOS - MAKING OF

    COMANDANTE  - PORTA DOS FUNDOS - MAKING OF

    Senhoras e senhores passageiros, este é o vídeo de número 172 do canal Porta dos Fundos. A duração estimada é de aproximadamente 2 minutos, contando com as condições favoráveis de navegação da sua internet. Nossa equipe agradece a escolha e deseja a todos uma boa tarde.


    23 de fevereiro de 2014

    Oscar 2014 - Melhor Fotografia - Será realizado em 2 de março

    Oscar 2014 - Melhor Fotografia - Será realizado em 2 de março

    Melhor fotografia
    • O Grande Mestre
    • Gravidade
    • Inside Llewin Davis: Balada de um Homem Comum
    • Nebraska
    • Os Suspeitos

    20 de fevereiro de 2014

    Dica de Filme: Persona - 1966 | Diretor : Ingmar Bergman | Diretor de Fotografia: Sven Nykvist

    É incrível como Sven soube trabalhar os contrastes nesse filme, cenas limpas e bem definidas, enquadramentos objetivos, e utilizando da sobra, e penumbra como composições de sua fotografia. Perfeito. Um clássico.



    Sinopse

    Antes do início da história, equipamentos de cinema projetam várias imagens rápidas que mostram crucificação, um pênis ereto, uma aranha, trechos de uma comédia de cinema mudo (visto pela primeira vez em Prison (1949)), um homem prisioneiro em um quarto (entre personificações da Morte e do Diabo) e o abate de uma ovelha. Por último, uma cena mais longa com um menino que acorda num hospital próximo de cadáveres, lendo o livro de Michail Lermontov chamado Um herói de nosso tempo ("Vår Tids Hjälte" no filme), e depois acaricia uma imagem borrada do rosto de Elisabeth e/ou Alma.
    A história principal começa quando a enfermeira Alma é escolhida para cuidar de Elisabeth Vogler, uma atriz que surtara em uma de suas apresentações - a tragédia de Sófocles,Electra - e a partir daí se isolou do mundo, permanecendo em constante silêncio. Apesar de Elizabeth ser tida como catatônica, ela reage com extremo pânico ao ver na televisão um monge budista se auto-imolando. As duas vão para uma casa da administradora do hospital. A princípio, Alma era a enfermeira que deveria acompanhar e cuidar da paciente mas desenvolve uma relação de amizade e acaba confidenciando seus segredos carnais - sua traição, sua orgia com um adolescente e seu aborto - como uma forma de quebrar o silêncio. O conflito entre as duas origina-se quando Elisabeth escreve uma carta para o hospital, revelando o segredo de Alma. Esta fica furiosa e agride verbal e fisicamente a paciente. Nessa cena o silêncio de Elisabeth se quebra e ela, com medo de morrer, grita. No decorrer do filme Alma fica em constante monólogo, porém consegue descobrir o motivo que levou ao silêncio repentino da atriz (gravidez indesejada).

    Prêmios

    • National Society of Film Critics Awards, USA - Melhor Filme; Melhor Atriz (Bibi Andersson); Melhor Diretor (Ingmar Bergman)
    • The New York Times Guide to the Best 1,000 Movies Ever Made 1
    • Indicado ao BAFTA na categoria Melhor Atriz Estrangeira (Bibi Andersson) - 1968

    Fonte: Wikipedia (Link


     

    Cinematografia - Arquivo Plano B

    Hoje assisti esse documentário maravilhoso que fala sobre os diretores de fotografia brasileiros. É um filme indispensável pra quem curte a área, quem pira o cabeção assim como no cinema brasileiro.
    Falam sobre a dificuldade da área, sobre a câmera, o processo de construção, enfim...esse documentário é perfeito. Tentei achar na net para colocar aqui, mas não encontrei, então fica o link aí para vocês conferirem e quem puder comprar, é uma ótima, digo mais, essencial pedida.



    Documentário - cinematographer stiles

    Documentário - cinematographer stiles 
    Procurando na internet algo sobre o assunto caí nesse documentário que achei muito bom...pena não ter tradução para o português, mesmo assim indico.

    SVEN NYKVIST - DIRETOR DE FOTOGRAFIA

    Sven Vilhem Nykvist  (3 Dezembro 1922-20 setembro de 2006)  



    Foi um cineasta sueco. Ele trabalhou em mais de 120 filmes, mas é conhecido principalmente por seu trabalho com o diretor Ingmar Bergman. Ele ganhou o Oscar por seu trabalho em dois filmes de Bergman, Gritos e Sussurros (Viskningar och rop) em 1973 e Fanny e Alexander (Fanny och Alexander), em 1983, e o Prêmio Independent Spirit de Melhor Fotografia por A Insustentável Leveza do Ser.

    Seu trabalho é geralmente conhecida pelo seu naturalismo e simplicidade. Ele é considerado por muitos como um dos maiores cineastas de todos os tempos. Em 2003, foi julgado Nykvist um dos dez cineastas mais influentes da história em uma pesquisa realizada pela International cinematógrafos Grêmio.


    :::Biografia

    Nykvist nasceu em Moheda, Kronobergs Lan, Sweden. Seus pais eram missionários luteranos que passaram a maior parte de suas vidas no Congo Belga, por isso Nykvist foi criado por parentes na Suécia e via seus pais raramente. Seu pai era um fotógrafo amador da vida selvagem Africana, onde pode ser dai que tenha despertado o interesse de Nykvist nas artes visuais.

    Um atleta talentoso em sua juventude, primeiro esforço cinematográfico de Nykvist era filmar a si mesmo tomando um salto alto, para melhorar a sua técnica de salto. Depois de um ano na Escola Municipal de Fotógrafos em Estocolmo, ele entrou na indústria do cinema sueco com a idade de 19 anos.

    No ano de 1941, tornou-se assistente de câmera no estúdio Sandrews, trabalhando em The Poor Millionaire. Ele se mudou para a Itália em 1943 para trabalhar na Cinecittà Studios, retornando para a Suécia, dois anos depois. Em 1945, com 23 anos, tornou-se um cineasta de pleno direito, com o seu primeiro filme sobre os filhos de Frostmo Mountain.

    Ele trabalhou em vários pequenos filmes suecos nos anos seguintes, e passou algum tempo com seus pais na África, onde acabou registrando a vida selvagem, imagens que mais tarde foram utilizadas no documentário - Nos Passos do Witch Doctor (também conhecido como Sob o Cruzeiro do Sul) .
     
     


    De volta a Suécia , ele começou a trabalhar com o lendário diretor Ingmar Bergman em 1953 em serragem e Tinsel (lançado em os EUA como The Naked Night ). Ele foi um dos três diretores de fotografia para trabalhar no filme, sendo os outros Gunnar Fischer e Hilding Bladh. 
    Após ter trabalhado com o diretor Ingmar Bergman durante a produção de Através de um Espelho, de 1960. Acabou se tornando o diretor de fotografia predileto de Bergman, onde direcionou o trabalho do diretor em uma nova direção, longe do olhar teatral de seus filmes anteriores. Ele trabalhou como único cinegrafista em filmes premiados de Bergman, que deram ao diretor o Oscar em  - A Virgem da Primavera, de 1959 e Através de um Espelho, de 1960. 

    Revolucionou a forma como as faces são filmadas em close-up com intensidade no filme - Persona de Bergman em 1966. 

    Depois de trabalhar com outros diretores suecos , incluindo Alf Sjöberg em O Juiz (1960) e Mai Zetterling em casais apaixonados (1964) , então ele trabalhou nos Estados Unidos e em outros lugares.

    Nykvist ganhou o Oscar de Melhor Fotografia para dois de seus filmes, Gritos e Sussurros (1973 ) e Fanny e Alexander (1982) , todos os dois filmes de Bergman. 

    Ele também foi nomeado para um Oscar por Cinematograhy A Insustentável Leveza do Ser (1988), e na categoria de Melhor Filme Estrangeiro para The Ox (1991), em que ele dirigiu Max von Sydow e Liv Ullmann . 

    Ele ganhou um prêmio especial no Festival de Cannes por seu trabalho em O Sacrifício (1986), o último filme do diretor russo Andrei Tarkovsky. Foi o primeiro diretor de fotografia Europeia a aderir à Sociedade Americana de Diretores de Fotografia, e recebeu um Lifetime Achievement Award da ASC em 1996. 

    Escreveu três livros, incluindo Curtain Call em 1999. Sua ex-mulher , Ulrika , morreu em 1982. A carreira de Nykvist foi levado a um fim súbito em 1998, quando ele foi diagnosticado com afasia. 
    Morreu em 2006, aos 83 anos.Deixou seu filho, Carl- Gustaf Nykvist , que dirigiu seu primeiro filme, Woman on the Roof , em 1989, e dirigiu um documentário sobre seu pai intitulado Light Keeps Me Company, 1999.

    :::Filmografia selecionada  

    Fonte: Wikipedia em Inglês, tradução google Tratudor. (Link)


    :::Algumas Referências 

    Um documentário dirigido por Greg Carson sobre o trabalho do diretor de fotografia Sven Nykvist.





    CÉSAR CHARLONE- DIRETOR DE FOTOGRAFIA

     César Charlone - Diretor de Fotografia


    Fotógrafo uruguaio radicado no Brasil desde 1970, quando veio estudar na Escola Superior de Cinema São Luiz, em São Paulo. Começou a trabalhar em 1973, como assistente de Dib Lutfi e Mário Carneiro. Dirigiu o documentário de curta-metragem E quando eu crescer? (1984), rodado no Brasil, Chile, Uruguai e Argentina, sobre crianças desaparecidas durante a ditadura.
    Sua primeira direção de fotografia para um longa-metragem foi em Aqueles dois (1984), de Sérgio Amon. Em 1986, foi para Cuba lecionar na escola de San Antonio de Los Baños. Fotografou o longa Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles, que ganhou o prêmio de melhor fotografia no Festival de Havana e pela Associação Brasileira de Cinematografia e que lhe rendeu uma indicação ao Oscar.
    Fez a direção de fotografia de O jardineiro fiel (2005), primeiro filme internacional de Fernando Meirelles, selecionado para o Festival de Veneza de 2005. Em 2007, lançou o longa O Banheiro do papa, que escreveu, fotografou e dirigiu. O filme ganhou os prêmios de melhor primeiro longa ibero-americano no 23º Festival de Guadalajara e melhor filme do júri da 31ª Mostra Internacional de Cinema São Paulo. No Festival de Gramado, ganhou na categoria de longas estrangeiros o prêmio de excelência em linguagem técnica, o prêmio da crítica e o prêmio de melhor filme pelo júri popular, além dos prêmios de melhor ator (César Troncoso), melhor atriz (Virginia Méndez) e melhor roteiro (César Charlone e Enrique Fernandez). Desde 1996 morando em São Paulo, é diretor associado da produtora O2 Filmes.

    Filmografia selecionada:

    Diretor de fotografia




  • Artigas – La Redota (2011), de César Charlone. Prêmio de melhor filme estrangeiro pelo júri oficial, popular e Júri da Crítica, melhor diretor, melhor ator, no Festival de Gramado 2012.
  • Ensaio sobre a cegueira (Blindness/2008), de Fernando Meirelles. Selecionado para competição e abertura do Festival de Cannes 2008. Prêmio de melhor direção de fotografia, concedido pela Academia Brasileira de Cinema em 2009.
  • O Banheiro do papa (2007). Também escreveu roteiro e dirigiu. Prêmios de melhor primeiro longa ibero-americano no 23º Festival de Guadalajara. Prêmio de melhor filme do júri da 31ª Mostra Internacional de Cinema São Paulo. No Festival de Gramado, ganhou na categoria de longas estrangeiros o prêmio de excelência em linguagem técnica, o prêmio da crítica e o prêmio de melhor filme pelo júri popular, além dos prêmios de melhor ator (César Troncoso), melhor atriz (Virginia Méndez) e melhor roteiro (Cesar Charlone e Enrique Fernandez).
  • O jardineiro fiel (2005), de Fernando Meirelles. Selecionado para o Festival de Veneza de 2005.
  • Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles. Prêmio de melhor fotografia no Festival de Havana e pela Associação Brasileira de Cinematografia. Indicação ao Oscar de melhor fotografia.
  • Palace 2 (2001), de Fernando Meirelles e Kátia Lund. Curta-metragem.
  • Pierre Verger, mensageiro entre dois mundos(2000), de Lula Buarque
  • Como nascem os anjos (1996), de Murilo Salles. Prêmio de fotografia no Festival de Gramado.
  • Doida demais (1989), de Sergio Rezende. Em parceria com Antonio Luiz.
  • Feliz ano velho (1986), de Roberto Gervitz. Prêmio de melhor fotografia no Festival de Gramado.
  • O homem da capa preta (1985), de Sérgio Rezende
  • Nada será como antes. Nada? (1985), de Renato Tapajós
  • Aqueles dois (1984), de Sérgio Amon
  • Em nome da lei de segurança nacional (1984), de Renato Tapajós



  • Diretor




  • Artigas – La Redota (2011)
  • O Banheiro do papa (2007). Também escreveu roteiro e fotografou.
  • E quando eu crescer? (1984). Documentário de curta-metragem.


  • :::Entrevistas






    :::Alguns Filmes

    Artigas – La Redota (2011)

    Ensaio sobre a cegueira(Blindness/2008)

    O Banheiro do papa (2007)

    O jardineiro fiel (2005)

    Cidade de Deus (2002)

    Palace 2 (2001)

    Pierre Verger, mensageiro entre dois mundos(2000)

    Como nascem os anjos (1996)

    Feliz ano velho (1986)

    O homem da capa preta (1985)

    O homem da capa preta (1985)

    GORILA BRANCO - CIDADE DE DEUS #NEMFUDENDO

    Nesse post de hoje resolvi colocar o vídeo do Bruno Peixoto do Gorila Branco, pois foi uma das únicas falas que mostra o contraponto do tão aclamado cidade de deus. Acho legal a gente sair do eixo, remar contra a maré e de vez em quando olhar de outra perspectiva.

    Depois do vídeo coloquei o descritivo do filme retirado da wikipedia.

    ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

    CIDADE DE DEUS #NEM FUDENDO

    Direção: Fernando Meirelles; Direção de Fotografia: César Charlone.



    Enredo

    O filme começa mostrando galinhas sendo preparadas para o almoço. Uma delas escapa e é perseguida por bandidos armados. A galinha para entre os bandidos e um jovem chamado Buscapé, que acredita que a gangue quer matá-lo. O filme volta 10 anos no tempo, onde Buscapé conta como ele foi parar naquela situação.
    Três ladrões (Cabeleira, Alicate e Marreco), conhecidos como Trio Ternura, aterrorizam os negócios locais com vários assaltos. Marreco é o irmão de Buscapé. Como Robin Hood, eles dividem parte do dinheiro roubado com os habitantes da favela chamada de Cidade de Deus e, em troca, são protegidos por eles. Vários meninos idolatram o Trio, um deles, chamado de Dadinho, os convence a roubar um motel. A gangue concorda, porém decidem por não matar ninguém e, achando que Dadinho é pequeno demais para participar, deixam ele como vigia. Eles dão a ele um revólver e falam para dar um tiro de aviso se a polícia chegar. Insatifeito, Dadinho da um tiro de aviso no meio do roubo e procede para satisfazer seu desejo de sangue assassinando todos os ocupantes no motel. O massacre chama a atenção da polícia, fazendo com que o Trio Ternura deixe a favela. Alicate se junta à igreja, Cabeleira é morto pela polícia ao tentar escapar com sua namorada e Marreco é morto por Dadinho depois tentar roubar o dinheiro do menino e seu amigo Bené, que estavam se escondendo após os crimes cometidos no motel.
    O tempo avança alguns anos. Buscapé se junta a um grupo de jovens que gostam de fumar maconha. Ele desenvolve um interesse em fotografia ao tirar fotos de seus amigos, especialmente de uma garota, Angélica. Ele tenta várias vezes se aproximar dela; porém, todas elas são arruinadas por um grupo de jovens arruaceiros conhecidos como Caixa Baixa. Dadinho muda seu nome para Zé Pequeno e, junto com seu amigo de infância Bené, estabelece um império do tráfico de drogas eliminando toda a sua competição, com a exceção de um traficante chamado Cenoura.
    Uma relativa paz chega à Cidade de Deus com Zé Pequeno no comando, que evita chamar a atenção da polícia abordando e matando um dos Caixa Baixa, que estava cometendo crimes na área. Zé planeja matar seu concorrente, Cenoura, porém é impedido por Bené, que é amigo de Cenoura. Eventualmente, junto com Angélica, ele decide deixar sua vida criminal para trás e se mudar para uma fazenda, assim ele faz uma grande festa de despedida. Zé, não conseguindo achar uma garota que quisesse dançar com ele, humilha um homem chamado Mané Galinha. Mais tarde, Bené é morto por um antigo traficante, Neguinho, que estava tentando matar Zé. Bené era o único homem que impedia Zé Pequeno de atacar os negócios de Cenoura. Sua morte deixa Zé em perigo e Cenoura com medo.
    Após a morte de Bené, Zé Pequeno estupra a namorada de Mané Galinha e mata seu tio e irmão. Galinha, procurando vingança, se alia a Cenoura. Depois de matar um dos homens de Zé e ferir o próprio, uma guerra entre as duas facções começa, envolvendo toda a Cidade de Deus. Ambos os lados recrutam mais e mais "soldados", com Zé fornecendo armas para a Caixa Baixa com a condição de lutarem para ele. Com inveja da notoriedade do Galinha, Zé Pequeno faz Buscapé tirar fotos dele e da sua gangue. Sem o conhecimento de Buscapé, uma repórter decide publicar as fotos no jornal. Buscapé, erroneamente achando que Zé Pequeno quer matá-lo, teme por sua vida. Na verdade Zé fica muito satisfeito com seu ganho de notoriedade.
    Voltando ao início de filme, confrontado pela gangue, Buscapé se surpreende quando Zé manda que ele tire uma foto dele e de seus homens. Enquanto Buscapé se prepara para tirar a foto, Cenoura aparece e um tiroteio começa entre as duas gangues e, mais tarde, a polícia. Mané Galinha é morto por um menino que havia se infiltrado na gangue para vingar a morte de seu pai, morto por Galinha em um assalto a banco. Zé Pequeno e Cenoura são presos. Zé é revistado e humilhado pelos policiais, porém é solto; com tudo sendo fotografado por Buscapé. Depois da saída dos policiais, a Caixa Baixa cerca Zé e o matam em vingança de seu amigo. Buscapé tira fotos do corpo de Zé e as leva para o jornal.
    Buscapé é visto no escritório do jornal olhando suas fotos e decidindo se devia publicar as fotos dos policiais corruptos e do corpo de Zé. As fotos do policiais fariam dele uma pessoa famosa, porém ao mesmo tempo em perigo. As fotos do corpo de Zé Pequeno fariam ele conseguir um emprego no jornal. Ele decide ir pelo caminho mais seguro e o jornal publica as fotos do corpo baleado de Zé.
    O filme termina com a Caixa Baixa andando pela Cidade de Deus, fazendo uma lista de traficantes que eles pretendem matar para tomar o império das drogas. Eles falam que o Comando Vermelho está chegando.


    Elenco

    • Alex Luiz de Avellar Sarmento — "Adoçante"
    • Alexandre Rodrigues — "Buscapé"
    • Alice Braga — Angélica
    • Charles Paraventi — "Tio Sam"
    • Christian Duurvoort — "Paulista"
    • Daniel Zettel — Thiago
    • Dani Ornellas — vizinha do "Paraíba"
    • Darlan Cunha — "Filé com Fritas"
    • Douglas Silva — "Dadinho" (Zé Pequeno quando criança)
    • Edson Montenegro — pai de "Busca-pé"
    • Edson Oliveirra — "Barbantinho"
    • Emerson Gomes — "Barbantinho" (quando criança)
    • Felipe Silva — Rafael
    • Gero Camilo — "Paraíba"
    • Graziella Moretto — Marina Cintra
    • Guilherme Aparecido Aguilar - "Tanajura"
    • Jefechander Suplino — "Alicate"
    • Jonathan Haagensen — "Cabeleira"
    • Karina Falcão — mulher de "Paraíba"
    • Leandra Miranda — "Lúcia Maracanã"
    • Leandro Firmino da Hora — "Zé Pequeno"
    • Luis Otávio — "Busca-pé" (quando criança)
    • Luiz Carlos Ribeiro Seixas — "Touro"
    • Marcos Junqueira — Otávio
    • Matheus Nachtergaele — Sandro "Cenoura"
    • Maurício Marques — "Cabeção"
    • Michel de Souza Gomes — "Bené" (quando criança)
    • Micael Borges - Caixa Baixa
    • Olívia Araújo — recepcionista do motel
    • Paulo César "Jacaré" — "Tuba"
    • Pedro Henrique Bonfim — "Robinho Piranha"
    • Phellipe Haagensen — "Bené"
    • Renato de Souza — "Marreco"
    • Ricardo Pagotto Piai - "Chicão"
    • Roberta Rodrigues — Berenice
    • Robson Rocha — Gélson
    • Rubens Sabino — "Neguinho"
    • Sabrina Rosa — mulher do "Galinha"
    • Seu Jorge - "Mané Galinha"
    • Thiago Martins — "Lampião"
    • Thiago Berto Jardim — "Zelão"

    Crítica

    Cidade de Deus recebeu críticas impressionantes e aclamadoras das várias grandes publicações nos Estados Unidos. No site Rotten Tomatoes o filme tem uma aprovação de 92%. Foi escolhido pela revista Empire, em 2008, como o 177º melhor filme de todos os tempos, e pela Time como um dos 100 melhores filmes da história.
    O critico José Geraldo Couto do jornal Folha de S. Paulo relatou que "Cidade de Deus é um filme de vigor espantoso e de extrema competência narrativa. Seus grandes trunfos são o roteiro engenhosamente construído (sim, à maneira americana, sem gorduras nem pontos sem nó) e a consistência da mise-en-scène".
    Em 2010 foi escolhido pela Empire como o sétimo melhor filme do cinema mundial e o sexto melhor filme de ação pelo The Guardian.

    Prêmios e indicações

    APCA 2003 (Brasil)
    • Grande prêmio da crítica – todo elenco
    BAFTA[desambiguação necessária] 2003 (Reino Unido)
    • Melhor edição – Daniel Rezende
    British Independent Film Awards 2003 (Reino Unido)
    • Melhor filme estrangeiro
    Festival de Cartagena 2003 (Colômbia)
    • Melhor Filme – Fernando Meirelles
    • Melhor Diretor – Fernando Meirelles
    Festival de Havana 2002 (Cuba)
    • Prêmio da Universidade de Havana – Fernando Meirelles
    • Melhor ator – Matheus Nachtergaele, Seu Jorge, Alexandre Rodrigues, Leandro Firmino, Phellipe Haagensen, Jonathan Haagensen e Douglas Silva
    • Melhor fotografia – César Charlone
    • Melhor Montagem – Daniel Rezende
    • Prêmio da Associação Cubana de Imprensa – Fernando Meirelles
    • Prêmio FIPRESCI – Fernando Meirelles
    • Prêmio Glauber Rocha – Fernando Meirelles
    • Prêmio Grand Coral – Fernando Meirelles
    • Prêmio OCIC – Fernando Meirelles
    Grande Prêmio Cinema Brasil 2003 (Brasil)
    • Melhor filme
    • Melhor diretor – Fernando Meirelles
    • Melhor roteiro adaptado – Bráulio Mantovani
    • Melhor fotografia – César Charlone
    • Melhor montagem – Daniel Rezende
    • Melhor som – Guilherme Ayrosa, Paulo Ricardo Nunes, Alessandro Laroca, Alejandro Quevedo, Carlos Honc, Roland N. Thai, Rudy Pi, Adam Sawelson
    NYFCC Awards 2003 (Estados Unidos)
    • Melhor filme estrangeiro
    Satellite Awards
    • Melhor filme em língua estrangeira

    Indicações

    BAFTA[desambiguação necessária] 2003 (Reino Unido)
    • Melhor filme em língua estrangeira – Andrea Barata Ribeiro, Mauricio Andrade Ramos e Fernando Meirelles
    Bodil 2004 (Dinamarca)
    • Melhor filme não-estadunidense – Fernando Meirelles e Kátia Lund
    Globos de Ouro 2003 (Estados Unidos)
    • Melhor filme em língua estrangeira
    Grande Prêmio Brasileiro de Cinema 2003 (Brasil)
    • Melhor ator – Leandro Firmino
    • Melhor ator coadjuvante – Jonathan Haagensen
    • Melhor ator coadjuvante – Douglas Silva
    • Melhor atriz – Roberta Rodrigues
    • Melhor atriz coadjuvante – Alice Braga
    • Melhor atriz coadjuvante – Graziela Moretto
    • Melhor direção de arte – Tulé Peak
    • Melhor figurino – Bia e Inês Salgado
    • Melhor maquiagem – Anna Van Steen
    • Melhor trilha sonora – Antonio Pinto e Ed Cortês
    Independent Spirit Awards 2004 (Estados Unidos)
    • Melhor filme estrangeiro – Fernando Meirelles
    Óscar 2004 (Estados Unidos)
    • Melhor direção – Fernando Meirelles
    • Melhor roteiro adaptado – Bráulio Mantovani
    • Melhor fotografia – César Charlone
    • Melhor edição – Daniel Rezende


     

     

    6 dicas para não cair em roubadas com clientes : Audiovizuando

    Neste programa os caras listam 6 grandes dicas para evitar roubadas com clientes, afinal eles tem tudo para ser nossos maiores amigos, mas algumas armadilhas podem nos transformar em grandes inimigos.

    Quase tudo sobre o extraordinário mundo dos seres audiovisuais. Câmeras, acessórios, softwares, gadgets, nerdices, dicas, curiosidades e humor volátil.


    Omelete - As melhores animações no cinema - indicações ao Oscar

    Bom galera, resolvi postar esse programa aqui, pois curto muito tudo que é publicado no site Omelete.com.br
    Nesse vídeo a meninas falam sobre as indicações ao oscar de melhor animação.
    Além de mostrarem as suas animações favoritas. Espero que vocês curtam, tanto quanto eu curti.


    19 de fevereiro de 2014

    AFFONSO BEATO - DIRETOR DE FOTOGRAFIA

    Affonso Beato



    Fotógrafo de destaque desde os anos 60, já trabalhou com Glauber Rocha, Carlos Diegues, Gustavo Dahl e Júlio Bressane, entre outros. Desenvolveu uma carreira internacional em que se destacam trabalhos com o americano Jim McBride e o espanhol Pedro Almodóvar. O reconhecimento veio com a fotografia de O dragão da maldade contra o santo guerreiro (1969), de Glauber Rocha, prêmio de melhor diretor no Festival de Cannes. Carioca de 1941, estudou na Escola Nacional de Belas Artes e há mais de 30 anos se divide entre o Brasil e os EUA. Foi presidente da Associação Brasileira de Cinematografia entre 2004 e 2005 e foi aceito como membro da American Society of Cinematographers, sendo o primeiro brasileiro a assinar as iniciais ASC.

    Filmografia selecionada:

  • O tempo e o vento (2013), de Jayme Monjardim
  • Cinema Verite (2011), de Shari Springer Berman e Robert Pulcini
  • Noite de tormenta (Nights in Rodanthe /2008), de George C. Wolfe
  • O amor nos tempos do cólera (Love in The Time of Cholera /2007), de Mike Newell
  • A rainha (The Queen / 2006), de Stephen Frears
  • Dark Water (Água Negra /2005), de Walter Salles
  • Resistindo às tentações (The fighting temptations / 2003), de Jonathan Lynn
  • Deus é brasileiro (2003), de Carlos Diegues
  • Jogo de sedução (Dot the I / (2002), de Mathew Parkhil
  • Voando Alto (A View From The Top / 2002), Bruno Barreto
  • Orfeu (1999), de Carlos Diegues
  • Tudo sobre minha mãe (Todo sobre mi madre / 1999)), de Pedro Almodóvar
  • Carne trêmula (Carne trémula / 1997), de Pedro Almodóvar
  • Mil e uma (1996), de Suzana Moraes
  • A flor do meu segredo (La flor di mi secreto / 1995), de Pedro Almodóvar
  • A fera do rock (Great balls of fire! / 1989), de Jim McBride
  • Acerto de contas (The big easy / 1986), de Jim McBride
  • Para viver um grande amor (1983), de Miguel Faria Jr.
  • Pindorama(1970), de Arnaldo Jabor
  • Copacabana me engana (1969), de Antonio Carlos da Fontoura
  • Viagem ao fim do mundo (1968), de Fernando Coni Campos
  • O bravo guerreiro (1968), de Gustavo Dahl
  • Cara a cara (1967), de Júlio Bressane. Prêmio de melhor fotografia no Festival de Brasília.
  • Memória do cangaço (1964), de Paulo Gil Soares. Curta-metragem.
  • O circo (1964), de Arnaldo Jabor. Curta-metragem.
  • Domingo (1960), de Carlos Diegues. Curta-metragem.

    Fonte (http://www.filmeb.com.br)



  • :::Algumas referências

    Entrevista ao canal Brasil



    ::: Alguns filmes


    O TEMPO E O VENTO (2013)



    CINEMA VERITE (2011)



    NOITE DE TORMENTA (2008)


    O AMOR EM TEMPOS DE CÓLERA (2007)


    A RAINHA (2006)


    Dark Wather - Água Negra (2005)


    RESISTINDO AS TENTAÇÕES (2003)


    DEUS É BRASILEIRO (2003)


    JOGO DE SEDUÇÃO (2002)


    VOANDO ALTO (2002)


    ORFEU (2003)


    TUDO SOBRE MINHA MÃE (1999)


    CARNE TRÊMULA (1997)



    A FLOR DO MEU SEGREDO (1995)


    A FERA DO ROCK (1989)


    ACERTO DE CONTAS (1986)

    PARA VIVER UM GRANDE AMOR(1983)

    COPACABANA ME ENGANA (1969)


    VIAGEM AO FIM DO MUNDO (1968)


    O BRAVO GUERREIRO (1968)


    CARA A CARA (1967)


    MEMORIA DO CANGAÇO (1964)


    O CIRCO (1964)

    LISTA DE DIRETORES DE FOTOGRAFIA

    LISTA DE DIRETORES DE FOTOGRAFIA

    :::A

    - Affonso Beato

    :::B

    - Bruno Delbonel

    :::C

    - César Charlone

    :::D

    - Dib Lutfi



    :::E


    - Emanuel Lubenzki

    :::F


    :::G


    :::H


    :::I

    - Ivo Lopes Araujo

    :::J

    - Jacob Solitrenick

    - Jordan Cronenwelth

    - Jeff Cronenwelth



    :::K


    :::L

    - Lauro Escorel
    - Lula Carvalho

    :::M

    - Matthew Libatique

    - Mauro Pinheiro Jr

    :::N


    :::O


    :::P


    :::Q


    :::R

    - Roger Deakins

    :::S

    - Sean Bobbit
    - Sven Nykvist

    :::T


    :::U


    :::V


    :::W

    - Walter Carvalho

    :::Y


    :::Z

    - Zé Bob Eliezer



















     

    AIC - Direção de Fotografia - Primeira Aula

    Finalmente minhas aulas de direção de fotografia para cinema começaram na AIC.

    Minha idéia é ir depositando minha visão dos conhecimentos trocados com os professores e alunos aqui. A fim de reforçar o que foi estudado e dando assim a possibilidade de aprofundar o meu conhecimento em determinados assuntos.

    :::1˚ Aula - 17/02 :::

    O Diretor de Fotografia

    Trabalha: Sensibilidade [o olhar] + Conhecimento [a técnica] + Estética [a arte].

    * Cria imagens para um determinado MEIO. Cria imagens para uma determinada ÉPOCA.

    Passos para a preparação de um filme

    Obs: Não necessariamente nessa ordem apresentada.

    - 1ª Leitura do Roteiro: Uma leitura limpa, sem criar ou estipular nada. Apenas com o intuito de conhecer a história e descobrir o que ela passa para você.

    - 2ª Leitura do Roteiro: Rabiscar o roteiro, incluir idéias, fazer anotações.

    - Conversas com o Diretor: Trocar muitas idéias; sugerir propostas; buscar referências, suas e as do diretor.



    - Reunião de direção: Diretor do filme + Diretor de Arte + Você. (Concepção Visual do Filme)



    - Estudo de Referências em conjunto



    - Criação do partido da luz do filme.



    -Visita as locações.

    - Mapa de Luz.

    - Pré - Light

    :::::::::::::::::

    Partido da luz do Filme

    - Qualidade

    - Direção

    - Contraste

    - Cor

    Ele é um guia não pode virar uma prisão.

    :::::::::::::::::

    Concepção visual do Filme




    - Diretor do filme + Diretor de Arte + Você



    Cada diretor de fotografia têm uma forma de ver o mundo e de fotografar uma cena.

    :::::::::::::::::

     Atribuições de um diretor de fotografia

    Campo Prático

    - Definir o equipamento de câmera e luz.

    - Escolher materiais que serão locados.

    - Coordenar a equipe de fotografia.

    - Ser rápido.

    Campo Criativo

    - Criar uma atmosfera para o filme.

    - Assumir riscos.

    :::::::::::::::::
    Ocorreu um erro neste gadget